DIOCESE
DE PATOS

Tem início a 57ª Assembleia Pastoral Regional da CNBB Nordeste 2

A felicidade do reencontro e o clima de oração marcaram a abertura da 57ª Assembleia Pastoral Regional, nesta terça-feira (27), no Convento Ipuarana, em Lagoa Seca (PB). O bispo de Garanhuns (PE) e presidente da CNBB Nordeste 2, dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa, conduziu a Lectio divina a partir do lema desta edição “Basta-te a minha graça, pois é na fraqueza que a força se manifesta (2Cor 12,9)”.

“É uma alegria imensa nos reencontrarmos depois da labuta da pandemia, e nos reencontrarmos, sobretudo, para rezar. Está será uma assembleia marcada pela oração”, afirmou dom Paulo Jackson, ao dá boas vindas aos cerca de 150 participantes. O grupo é formado por membros do clero, religiosas e leigos e leigas das 21 dioceses presentes nos estados de Alagoas, da Paraíba, de Pernambuco e do Rio Grande do Norte.

O presidente do Regional dirigiu uma meditação a partir do contexto paulino apresentado no lema que norteia toda a Assembleia. Após a leitura e releitura do texto, como propõe o método da Lectio Divina, dom Paulo Jackson conduziu os participantes a uma reflexão bastante espiritual do tema, confrontando as fragilidades do Apóstolo Paulo e as as fraquezas de cada batizado na missão, junto com as consequências para a ação pastoral.

“E as nossas fraquezas? A fome, o abandono do nosso povo, o clericalismo, uma Igreja sem ardor missionário, a perda do sentido da vida, a perseguição na missão como na Nicarágua e outros tantos. Quais são as nossas fragilidades?”, questionou dom Paulo Jackson. Além de rezar, os participantes também partilharam de maneira espontânea as fraquezas vivenciadas principalmente no âmbito social.

Acolhida

O primeiro dia que começou com credenciamento, seguido de jantar também foi marcado pela acolhida, começando com o bispo da Diocese de Campina Grande (PB), dom Dulcênio Fontes de Matos. “Tenho certeza de que serão dias na presença de Deus dedicados ao trabalho intenso para o Reino. Sintam-se todos em casa”, declarou o anfitrião.

O bispo de Cajazeiras (PB) e secretário do Regional apresentou as orientações gerais. Já o bispo de Caicó (RN) e vice-presidente da CNBB NE2, dom Antônio Carlos Cruz Santos, fez um breve resgate para explicar como o “Espírito nos conduziu até aqui” e suscitou o tema “Habitar a fragilidade como lugar teológico e pastoral”.

Segundo religioso, a inspiração está na palavra do Papa Francisco que escreveu na Carta Apostólica Patris Corde e falou também aos padres do Colégio de São Luís dos Franceses, em Roma.

“‘Não deixem as fragilidades de lado: elas são um lugar teológico’, disse o Papa. Basta olharmos as fragilidades do contexto político ou a própria fragilidade humana. Nosso grande desafio é como perceber a graça de Deus em tudo isso. Por isso, estamos aqui a serviço para ouvirmos o Espírito Santo falando a partir das nossas fragilidades, apontando-nos o caminho da graça”, disse dom Antônio Carlos.

Conferências e grupos de trabalho

A Assembleia Pastoral Regional será retomada nesta quarta-feira (28), às 7h com a celebração da Santa Missa, na capela de Santo Antônio, localizada no complexo do Convento Ipuarana. A liturgia será presidida pelo arcebispo de Olinda e Recife (PE), dom Fernando Saburido, e concelebrada pelo arcebispo de Natal (RN), dom Jaime Vieira Rocha; o bispo de Mossoró (RN), dom Mariano Manzana; e pelo bispo de Afogados da Ingazeira (PE), dom Egídio Bisol.

Após o café da manhã e o momento de animação, será realizada a primeira conferência do encontro deste ano: “Os cenários de fragilidade na sociedade brasileira”. A palestra será conduzida pelo padre Geraldo Luiz De Mori. O sacerdote é membro da Equipe de Análise de Conjuntura Eclesial da CNBB e integrante da Comissão Teológica do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam).

A segunda conferência tratará sobres os “Horizontes de fragilidade eclesial à luz da escuta sinodal”, logo depois do intervalo da manhã. Em seguida, haverá um momento de debate entre os participantes.

Os participantes iniciarão o turno da tarde, às 14h30, recitando a oração da Hora Média. Logo depois, às 15h, o padre Geraldo Luiz De Mori retorna para apresentar a conferência “Habitar a fragilidade como lugar teológico e pastoral”.

Após o intervalo, os participantes se dividirão em grupos de trabalho para dar início a construção da Síntese. No início da noite, será rezada a Oração de vésperas e, por fim, realizado o jantar festivo.

 

Confira a programação desta quarta-feira, dia 28:

 Moderador: Pe. Antônio Rogério

HORÁRIO LOCAL ATIVIDADE RESPONSÁVEIS
07:00 Capela Celebração Eucarística D. Fernando Saburido, D. Jaime, D. Mariano e D. Egídio.
08:00 Refeitório Café
08:45 Auditório Animação, notícias das pastorais Moderador
09:00 Auditório Conferência: Os cenários de fragilidade na sociedade brasileira. Pe. Geraldo Luiz de Mori
10:00 Refeitório Lanche
10:30 Auditório Conferência: Horizontes de fragilidade eclesial à luz da escuta sinodal. Dom Antônio Carlos e Pe. Janilson    Rolim
11:30 Auditório Ressonâncias do plenário Moderador
12:30 Refeitório Almoço

Moderador: Pe. Edson Medeiros

HORÁRIO LOCAL ATIVIDADE RESPONSÁVEIS
14:30 Auditório Breve oração, animação e notícias das pastorais Comissão de liturgia e moderador
15:00 Auditório Conferência: Habitar a fragilidade como lugar teológico e pastoral. Pe. Geraldo Luiz de Mori
16:00 Refeitório Lanche
16:30 Salas Trabalho em grupo
17:30 Auditório Plenário e síntese Moderador
18:00 Capela Oração de vésperas Comissão de Liturgia
18:30 Pátio interno Noite festiva CNBB NE 2

 

Fonte: cnbbne2.org.br

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS