DIOCESE
DE PATOS

Realizada a última noite de conferência no Congresso Diocesano de Liturgia.

Encerrando as Conferências  Temáticas do Congresso Diocesano de Liturgia um grande número de pessoas se fizeram presentes ontem à noite no Ginásio de Esportes do Colégio Cristo Rei.

Após a oração, o Padre Flávio Mamede(Coordenador Diocesano de Pastoral) acolheu aos vários ministérios: Dom Eraldo, Pe. Joaquim, Padres Diáconos, Religiosas, Novas Comunidades, todas as Forças Vivas da Diocese, as Foranias e Oficineiros. Para compor a mesa convidou Dom Eraldo, Pe. Joaquim Cavalcante(Conferencista da noite) ,Judivan(Pastoral Litúrgica), Padre José Ronaldo, Diácono Lindomar, Sônia Nascimento(Coordenação Pastoral), Ir. Graça (Ir.Josefina), Ademar (Novas Comunidades), Maria Jordânia (Oficinas-Congressistas).

Na abertura, Dom Eraldo fez referências sobre o Pe. Joaquim seu ex-professor de seminário expressando um sentimento de alegria e gratidão pela presença do mesmo. Dom Eraldo ainda lembrou sobre o zelo dos padres da diocese pela casa do Senhor.

Iniciando a  Conferência  Pe. Joaquim expôs a temática : A Sacrosanctum Concilium no Contexto da Nova Evangelização para a Transmissão da Cristã.

Em sua fala Pe. Joaquim fez abordagens referentes a três aspectos:

*A Importância da Experiência Pessoal-Encontro com Cristo.Através da liturgia podemos fazer uma experiência com Deus.Ela ocupa lugar fundamental na vida da evangelização,oferecendo os referenciais para a nova evangelização, precisamos estar abertos para a realidade. A liturgia é fonte de santificação e conversão. Realidade Mistológica, experiência do encontro com o mistério de Deus.

*A Transmissão da Fé Cristã-Não basta ter fé é preciso qualificar a fé.A liturgia é a casa da transmissão da fé. E esta transmissão exige que não descuidemos do mundo globalizado. Não podemos fazer-nos pregadores de si mesmo. Para evangelizar temos que ser enviados.

*Conversão Pastoral-A conversão pastoral não deve ser um acontecimento paralelo, mas integrado no programa pastoral da diocese. A conversão acontece com a conversão dos pastores e dos fiéis que pretendem levar à frente o mandato missionário. Quando se trabalha em comunhão Deus derrama as bênçãos. A fé implica anúncio e testemunho. A fé pede anúncio mas pede silêncio. O silêncio é a teofania do mistério. A fé cristã tem que estar em sintonia: crer, orar e agir.

Dando continuidade Dom Eraldo falou sobre os Novos desafios e perspectivas  para a Pastoral Litúrgica. Ele ressaltou que é preciso olhar para frente à luz do Congresso e fazermos o caminho. Elencou  pontos fundamentais para vencer os desafios da Pastoral Litúrgica: Formação Permanente, Formação Litúrgica na Ação Pastoral, Criar a Pastoral da Acolhida, Eliminar o Clericalismo, Especial atenção à Juventude, Liturgia com a tarefa de mostrar o que ela é, Inculturação Litúrgica, Unidade Litúrgica na Diocese, Formação Litúrgica que passe por todos os pontos e Avaliação do Mistério Celebrado.

Concluídos os trabalhos da noite o evento foi encerrado com a bênção final concedida por Dom Eraldo.

Assista a entrevista com o Pe. Joaquim Cavalcante:

Texto:  Girlande Morais

Fotos: Glauber Alves

– Pascom Diocesana

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS