DIOCESE
DE PATOS

Patos em mobilização ao Grito 2022

Deus chama a gente pra um momento novo, / De caminhar junto com o seu povo. / É hora de transformar o que não dá mais:/Sozinho, isolado, ninguém é capaz!.

Momento novo: esta foi a melodia que embalou o primeiro encontro ampliado para preparação do Grito 2022, na cidade de Patos, realizado aos 15 de agosto de 2022, na sede do Projeto de Ação Solidária da Diocese de Patos.

Padre Sebastião Gonçalves (Pastoral Carcerária) foi quem animou este momento inicial, convidando às pessoas presentes para uma ciranda. Em seguida, cada pessoa foi motivada a dizer o seu nome, onde mora e quem estava representando. Ao todo, dezesseis pessoas se fizeram presentes, sendo nove mulheres e sete homens. Na ocasião, estavam representados: a Pastoral da Criança, a Pastoral do Menor, a Fazenda da Esperança, moradores do acampamento dos Sapateiros, o Movimento Olga Benário, o MST, a UAC, o Projeto de Ação Solidária, a Unidade Popular, o Sinfemp.

Irenaldo Pereira de Araújo, articulador do Pilar da Caridade, na Diocese de Patos, fez uma breve contextualização sobre a celebração do Grito dos Excluídos e das Excluídas, estando, em 2022, na sua 28ª edição. “Vida em primeiro lugar, tem sido a temática que embala o Grito nestes 28 anos”, lembrou o Prof. Irenaldo. Neste ano, em que o Brasil celebra os 200 anos de sua independência, o Grito, a partir do seu lema, provoca-nos diante da seguinte pergunta: lema “Brasil: 200 anos de (in) dependência, para quem?“.

Anchieta Assis, do Projeto de Ação Solidária, lembrou da importância da celebração do Grito, num contexto em que o Brasil volta ao mapa da fome e que muitos são os gritos que ecoam marcado por esta triste realidade. Alba Lanúsia, da Pastoral da Criança, destacou a importância de não somente apontarmos os Gritos, mas também apresentar algumas ações de solidariedade que vem sendo realizadas por diversos seguimento sociais. Sônia Pereira, da Pastoral do Menor, destacou a importância de mobilizar atrações culturais para o momento. José Gonçalves, do Sinfemp, lembrou que é preciso organizar tendas para o local do evento, bem como a contração de um sanfoneiro e um bom serviço de som. Zilma Feitosa, do MST, destacou a importância da mística, com elementos que estão em situação com a luta das pessoas que padecem pela falta de terra. José Arimateia, da ASDP, destacou que o Grito pauta a luta por terra, teto e trabalho. Irenaldo Pereira, do Pilar da Caridade, enfatizou que não podemos nos esquecer das ameaças à democracia e que devemos estar atentos a movimentos que flertam com regimes autocráticos.

Em relação aos encaminhamentos, Emanuel Escarião, do Unidade Popular, fez uma provocação quanto a definição do local e do horário. Madalena Góis, da Fazenda da Esperança, propôs que seria bom a realização do Grito pela manhã. Gerlúzia Vieira, do Movimento Olga Benário, destacou a Concha Acústica, como um local bem central. Neste sentido, por unanimidade, ficou decido que a celebração do Grito 2022, na cidade de Patos, será no dia 07 de setembro, a partir das 07 horas da manhã, na Concha Acústica. José Arimateia, da ASDP, falou sobre a necessidade de organizar bem o espaço para que seja o mais aconchegante possível. José Gonçalves propôs um café da manhã solidário, das 07 às 08 horas da manhã, onde cada organização poderá levar algo para que seja compartilhado com todas as pessoas que irão chegando na praça. José Ilton, da UAC, destacou a importância da mobilização dos bairros, a fim de que seja um evento bem representativo. Neste sentido, as representantes do acampamento dos Sapateiros (Luziana, Zeilda Silva, Francisca Stefânia e Rita Serafim) falaram sobre a importância da mobilização de representações de famílias que lutam por moradia, na cidade de Patos.

Sobre o fechamento da programação, Irenaldo Pereira falou sobre a necessidade de outros encontros com o coletivo de mobilização do Grito, na cidade de Patos, para o fechamento da programação. O evento foi concluído com a convocação de todas as pessoas presentes a foto oficial do momento.

#asdppb #diocesedepatospb #ppi #pastoralcarcerária #pamen #grito2022 #vidaemprimeirolugar 

 

#asdppb #diocesedepatospb #ppi #pastoralcarcerária #pamen #grito2022 #vidaemprimeirolugar #grito2022 #vidaemprimeirolugar

Fonte: asdppb.org

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS