DIOCESE
DE PATOS

O Sacerdócio reluzente

Regressemos um pouco no tempo e na história para buscar o sentido de uma vocação e de um sacerdócio reluzente.

Aos vinte e oito dias do ano santo do Senhor de 1963 a Igreja de Santo Antônio (ainda em construção) vivia um momento histórico com a Solene Eucaristia de Ordenação do 1º Sacerdote da recém-criada Diocese de Patos.

O Excelentíssimo e Reverendíssimo Dom Expedito Eduardo de Oliveira colhia como primícias de seu iniciante múnus episcopal  frente a esta porção do povo eleito de Deus a dádiva de ordenar para o grau de sacerdote o primogênito do clero diocesano.

Sua vocação fruto de uma providente visita do Reverendíssimo Pe. Joaquim de Assis Ferreira ao sítio boqueirão onde morava nasceu quase que como uma piada após a indagação do clérigo a alguns jovens sobre quem desejara  ser “padre”.

Sorrateiramente seu irmão Rui afirmou positivamente a indagação do ministro de Deus, sendo interpelado pelo irmão Valdomiro que se ele não fosse, ele mesmo iria.

Daquela provocação surgia uma inegável vocação sendo acolhido em seguida no Seminário Menor São José e que aos três dias do mês de março de 1951 e ingressou arquidiocesano da paraíba, tornando -se único da turma a ser ordenado.

Feito este itinerário e um breve passeio na história voltemos a cena atual para evidenciarmos os frutos do sim despretensioso daquele jovem de origem humilde, como ainda hoje salienta marcado indelevelmente pela roça.

Sua simplicidade marca  peculiar que carrega durante o seu frutuoso ministério só pode ser explicado pelo bom humor que transmite e por palavras rápidas e certeiras como uma flecha.

Hoje passados 50 anos de sua Ordenação Sacerdotal o Excelentíssimo e Reverendíssimo Pe. Valdomiro Batista de Amorim tornou-se o respeitado e ouvido decano da Diocese de Patos.

Por onde passa deixa sempre seu rastro de um Sacerdócio reluzente.

Assim como o Senhor prova-nos como ouro no fogo tal metal apenas exalta o brilhante ministério do Pe. Valdomiro Batista em seus 50 anos dedicados ao serviço de Deus e dos irmãos.

O ouro, metal precioso e de grande valor parece uma dicotomia para um sacerdote que escolheu a humildade de vida, a defesa dos pobres e o anúncio profético da palavra como insígnias de seu ministério sacerdotal.

Cabe-nos tão somente louvar ao Senhor pela vida e pelo dom sacerdotal do Pe. Valdomiro e rogar  que a Virgem Senhora Da Guia continue a conduzir os seus passos nos caminhos de seu bendito filho, sacerdote por excelência, Jesus Cristo.

  –

Carlos Silva – Pascom Diocesana

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS