DIOCESE
DE PATOS

Igreja alerta para tentativas de golpe financeiro na Paraíba e no Rio Grande do Norte

Nomes de religiosos de dioceses do Regional Nordeste 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB NE2) estão sendo usados para aplicar golpes financeiros em fiéis católicos. Em pelo menos dois Estados, na Paraíba e no Rio Grande do Norte, foram identificadas as tentativas de estelionato por meio de ligações telefônicas, Whatsapp e visitas domiciliares.

Na Diocese de Mossoró (RN), os suspeitos estão usando o nome do vigário geral, padre Flávio Augusto Forte Melo, para extrair dinheiro das vítimas. Os falsários pedem doações dizendo que precisam participar de um retiro em João Pessoa, na Paraíba.

De acordo com a Pastoral da Comunicação (Pascom) de Mossoró, as abordagens aconteceram por meio de ligações e de visitas às casas dos fiéis. Relatos iniciais de testemunhas dão conta de que o golpe está sendo aplicado por dois homens.

“Neste tempo de pandemia, o que existe são ações de solidariedade realizadas através das paróquias, da Cáritas Diocesana, das comunidades e dos serviços devidamente regularizados. Se alguém foi vítima desse golpe, por favor, entrar em contato com a diocese”, afirmou a Pascom de Mossoró.

A igreja potiguar informou também que o padre Flávio Augusto está em isolamento social recuperando-se da Covid-19, e que o caso já foi registrado na polícia e está sendo acompanhado pelo setor jurídico da diocese.

Arcebispo

Na Arquidiocese da Paraíba, os falsários estão enviando mensagens pelo Whatsapp se passando pelo arcebispo, dom Manoel Delson Pedreira da Cruz. No golpe, é solicitado dinheiro para auxílio financeiro a uma turma de jovens que pretende entrar para o seminário.

Segundo comunicado da Pascom da Paraíba, ao abordar as vítimas os suspeitos estão se apresentam como dom Delson alegando que mudou de número telefônico e informam uma conta bancária em no nome de outra pessoa.

“Pedimos a todos que tenham cuidado e não caiam neste golpe. Nem o arcebispo nem a Arquidiocese da Paraíba solicitam dados ou ajuda financeira através de mensagens de Whatsapp. O setor jurídico da arquidiocese já está tomando as providencias legais cabíveis com relação a este caso”, informou a igreja paraibana.

Fonte: cnbbne2.org.br
Com informações da Pascom Mossoró e Pascom Paraíba

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS