DIOCESE
DE PATOS

Festa das Neves no Bivar Olinto foi aberta por Dom Paulo Jackson

“Comunidade de Comunidades: uma nova paróquia”!

Na noite desta segunda-feira, 27 a comunidade paroquial de Nossa Senhora Das Neves no bairro do Bivar Olinto, parte oeste da cidade de Patos abriu oficialmente sua festa com o hasteamento da bandeira e missa.

Convidado para abrir oficialmente a Festa Das Neves de 2015, o bispo eleito de Garanhuns e filho da Diocese de Patos, Dom Paulo Jackson Nóbrega de Souza hasteou com alegria a bandeira da festa.

Cumprindo uma agenda que inclui a sua visita às paróquias por onde passou ao longo de seu ministério presbiteral como membro do clero da Diocese de Patos, Dom Paulo revive a cada reencontro grandes emoções.

Não foi diferente ao tomar parte da Festa de Nossa Senhora Das Neves onde esteve presente diversas vezes como pároco da Paróquia de Santo Antônio e tendo sido responsável pela reforma da então capela agora transformada em matriz elevada recentemente à categoria de Paróquia.

Uma curiosidade e um fato emocionante se deu pelo báculo conduzido pelo Reverendíssimo Dom Paulo Jackson, pertencente ao saudoso Dom Gerardo Andrade Ponte, atualmente parte integrante do memorial diocesano, uma vez que o 3º bispo de Patos foi responsável pela ordenação presbiteral do agora eleito bispo de Garanhuns.

A Paróquia Das Neves celebra sua primeira festa exatamente refletindo o tema do Documento 100 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil: “Comunidade de Comunidades: uma nova paróquia”!

Sob a condução do Reverendíssimo Pe. Rodrigo Trindade, Administrador Paroquial a comunidade vai edificando sua fé e consolidando sua história.

Em sua homilia, Dom Paulo Jackson fez uma verdadeira catequese sobre a devoção mariana sob o título de Nossa Senhora das Neves iniciada no Século IV em Roma, onde em pleno e seco inverno ocorreu o milagre de nevar.

No que se refere à liturgia diária, o bispo eleito de Garanhuns, Dom Paulo evidenciou as questões polêmicas relacionadas à confusão da idolatria e a veneração das imagens, uma contradição histórica e exegética cometida contra a Igreja Católica ao longo do tempo.

No final da celebração a comunidade ofereceu um ramalhete de flores e uma linda mensagem na voz de uma criança, Julinho que emocionou ao bispo por sua simplicidade e humildade.

Após o hino da padroeira e a bênção final os devotos foram convidados a se confraternizarem na parte social da festa, com quermesse e música ao vivo na voz da cantora, Cyda Dyas.

Texto e fotos: Carlos Silva – Pascom Diocesana

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS