DIOCESE
DE PATOS

Diocese de Patos celebra o Grito dos Excluídos

Em comunhão com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Diocese de Patos realizou, neste dia 07 de setembro, o Grito dos Excluídos, para manifestar solidariedade ao povo brasileiro e preocupação com a grave crise ética, política, econômica e social pela qual passa o Brasil.

Neste ano de 2017, a 23a Edição do Grito dos excluídos trouxe como tema Por Direitos e Democracia, a Luta é todo Dia”. Na Diocese de Patos, o ponto central do Grito dos Excluídos foi a Catedral Nossa Senhora da Guia. Às 08 horas da manhã, aconteceu uma celebração eucarística presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Eraldo Bispo da Silva, que contou também com a participação do Padre José Joácio da Nóbrega, Dom Jerônimo Pereira Silva ( Monge Beneditino), Seminaristas, religiosas além de   diversas Pastorais e Movimentos da Igreja.

Em sua reflexão, Dom Eraldo destacou: “somos convidados pela palavra a produzir uma boa obra; a fazer o bem para superar o mau na nossa vida pessoal, comunitária e social. É por causa da Palavra de Deus que estamos aqui. A Igreja Clama e Grita porque o povo sofre”.

Dom Eraldo destacou ainda que é preciso recuperar os direitos e a dignidade das pessoas, hoje tão ameaçados. “Celebrar o dia da Pátria, é celebrar o sonho para a construção de um mundo novo. É preciso renovar o Grito de independência. Que o nosso grito hoje, inspire em cada um de nós o Espírito de um mundo novo de justiça e paz”, disse.

Após a celebração eucarística, o Santíssimo Sacramento foi exposto para visitação e adoração no lado externo da Catedral, defronte a porta de entrada. Representantes de diversas Pastorais, movimentos e serviços da Igreja, se revezaram em momentos de adoração e súplicas pelo Brasil. Durante o desfile, representantes de diversas escolas e bandas marciais prestaram reverência e respeito ao Santíssimo exposto.

Dom Eraldo afirmou ainda que esta experiência deverá fazer parte do calendário fixo de atividades da Diocese e que no próximo ano deverá ter uma melhor preparação e adesão das Paróquias e dos fiéis.

Texto: José de Anchieta de Assis

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS