DIOCESE
DE PATOS

Diocese de Patos celebra encerramento do Ano da Misericórdia

Aconteceu na noite deste domingo, 20 de Novembro, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Guia, em Patos, a Grande Celebração Eucarística de encerramento do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia. A Celebração foi presidida pelo Bispo Dom Eraldo, com a participação de padres, diáconos, seminaristas, religiosas, representantes de pastorais e movimentos religiosos, além de uma grande multidão de fiéis.

Antes da celebração, aconteceu um Show Musical, no Largo Dom Gerardo, ao lado da Catedral, com o Padre Evandro Romero e diversos convidados, que se utilizam da música como forma de evangelização.

Em sua Homilia, Dom Eraldo destacou a sábia e bela iniciativa do Papa Francisco que proclamou o ano de 2016 como Ano Jubilar da Misericórdia. Ele destacou também falas de Jesus que justificam a Misericórdia de Deus por nós: “Eu sou o Senhor e vos lavei os pés; Quem quiser ser grande seja aquele que serve”.

Na Diocese de Patos o Ano Jubilar da Misericórdia foi comemorada e vivenciada em todas as paróquias de todas as Foranias. Nas Paróquias, as chamadas “Portas Santas” foram oportunidades e motivações para que os fiéis pudessem fazer suas peregrinações, confissões, comunhão com o Senhor e rezassem pelo Santo Padre e assim obtivessem favores celestiais chamados de indulgências. As diversas ações sociais com os mais pobres, realizadas por pastorais, serviços e movimentos da diocese de Patos foram lembrados como importantes sinais de Misericórdia.

Dom Eraldo destacou que o Papa Francisco deu de presente à Igreja e à sociedade uma magnífica Carta Apostólica intitulada “Misericórdia e pobreza”. Nesta carta o Santo Padre pede a todos que aquilo que aprendemos com o Jubileu nos leve sempre mais ao encontro dos que sofrem, dos empobrecidos, dos caídos e esquecidos da sociedade. Aqueles que o sistema exclui e mata; aqueles e aquelas que perdem as possibilidades de uma vida digna por causa da ganância, do preconceito, da indiferença, da falta de solidariedade e de compaixão.

Olhando a conjuntura atual do Brasil, Dom Eraldo demostrou grande preocupação com as medidas do governo federal, que em nome do chamado ajuste fiscal, irão trazer graves consequências, sobretudo para os mais pobres da sociedade. Ele destacou preocupação especial com a chamada PEC 55, em tramitação no Senado Federal, que congela orçamentos em políticas sociais importantes como saúde e educação por 20 anos.

Ainda sobre essa conjuntura ameaçadora, Dom Eraldo mostrou unidade com o episcopado brasileiro e conclamou a população, para de forma tranquila e pacífica, mobilizar-se no sentido de evitar a aprovação da PEC 55 que segundo ele poderá trazer tanto mal à sociedade. Ele destacou: “Não podemos deixar que sejam congelados de forma perversa os sonhos de tantos jovens que precisam construir uma vida sem trevas e sem medos”.

Ao Final da Celebração, Dom Eraldo anunciou as transferências de diversos padres da Diocese para outras paróquias e anunciou o padre Espedito Caetano, como novo Coordenador Diocesano de Pastoral.

José de Anchieta de Assis – Pascom Diocesana

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS