DIOCESE
DE PATOS

Catedral celebra memória das Mártires Filhas do Amor Divino

Nesta quinta-feira, 15 de dezembro, após um tríduo preparatório realizado pelas “Irmãs do Cristo Rei” com paroquianos de N. Sra. da Guia, foi celebrada na Igreja Catedral a Santa Missa em Memória das Beatas Mártires Berchmana, Krizina, Jula, Antonija e Bernadeta. Mais conhecidas como as Mártires do Drina. Elas pertenciam à Congregação das Filhas do Amor Divino e formavam a Comunidade “Casa de Maria” num pequeno povoado na Bósnia-Herzegovina (antiga Iugoslávia). A Missa foi presidida pelo Pe. José Ronaldo, Pároco da Catedral, e concelebrada pelo Pe. Rodrigo Trindade (Capelão do Colégio Cristo Rei).

Conhecendo as Mártires do Drina

Pela caridosa hospitalidade dessas Irmãs, seus vizinhos chamavam o convento de “Hospital dos Pobres”. No período da Segunda Guerra Mundial, membros das tropas sérvias perseguiam cruelmente os povos não sérvios, massacrando cruelmente populações católicas e muçulmanas. Em 11 de dezembro de 1941, os soldados sérvios prenderam as Irmãs, saquearam e incendiaram o Convento. Fizeram-nas caminhar 65 km durante 04 dias enfrentando o enorme frio e atrozes agressões. Uma das Irmãs não conseguiu seguir o ritmo e foi assassinada no caminho. As outras chegaram ao lugar de seu martírio, uma caserna militar, na tarde do dia 15 de dezembro. Os soldados tentaram violentá-las, pressionando-as a renunciarem à Vida Religiosa e prometendo-lhes muitas vantagens. Ao resistirem, para evitar o estupro, pularam de uma janela no segundo andar do prédio gritando: “Jesus, salva-nos!”. Enfurecidos, os soldados feriram-nas mortalmente e, aos chutes, jogaram seus corpos no Rio Drina que separa a Bósnia da Sérvia.

Em 24 de setembro de 2011, num dia de N. Sra. da Guia, as Mártires do Drina foram beatificadas na cidade de Sarajevo, capital da Bósnia, em cerimônia presidida pelo Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, a pedido do então Papa Bento XVI.

As Beatas Mártires do Drina são verdadeiras missionárias da Bósnia sofrida. Serviram a Deus e aos pobres com generosidade e amor desinteressado. Ao derramarem seu sangue, confirmaram sua fidelidade a Deus. São extraordinários modelos de fé no Senhor e de verdadeiro amor aos necessitados.

Na cidade de Patos há um provável milagre alcançado pela intercessão das Mártires do Drina em favor de uma criança nascida com diversas complicações que, desenganada pelos médicos, ficou curada.

Padre Rodrigo – Pároco de Nossa Senhora Neves

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS